Una “nueva” cultura para la formación de maestros: es posible?

13.63


Educar as pessoas para o pleno exercício de seus direitos e deveres tem se tornado um desafio cada vez maior em nossos dias. Para tanto elas precisam produzir saberes, desenvolver valores que as habilitem a participar da sociedade, mais consciente e autonomamente, como sujeitos activos. A produção de saberes exige o desenvolvimento de uma atitude de constante reflexão, criatividade, diálogo, diante do avanço da modernidade tardia, ou da pós-modernidade no mundo globalizado. Vivemos hoje, culturalmente, a acelerada multiplicação e renovação das informações nas diferentes áreas do conhecimento, o aprofundamento da racionalidade instrumental, com seus efeitos hierarquizadores dos saberes, diluidores das memórias e das identidades singulares, excludentes do outro, do diferente. Diante, deste cenário desafiador, como garantir que todos possam produzir saberes de modo a fortalecer sua autonomia e sua realização pessoal e colectiva? Nesse contexto de transformações, o acesso à escola pode ser um primeiro passo, embora não seja o único nem o suficiente. A instituição escolar pode ser um lócus de fortalecimento cultural dos sujeitos envolvidos, desempenhando um papel, não apenas quanto à produção de saberes sistematizados, mas também quanto aos valores que formam a base da autuação dos cidadãos. A atitude de aprendizagem contínua surge como uma necessidade para o cidadão consciente, politicamente activo, que se quer formar neste século XXI.
É diante desse quadro que o professor é chamado a assumir responsabilidades, cuja importância merece ser destacada. A escola que atenda a tais possibilidades educacionais, nos dias actuais, precisa de um professor disposto e preparado para formar cidadãos e que se abra no efectivo diálogo com estes mesmos sujeitos – os quais, a partir de seus saberes da experiência, sintam-se constantemente motivados a buscar e a construir novos conhecimentos. Um professor que assuma a função de orientador do processo de produção de conhecimentos, que trabalhe em equipe com seus pares e estudantes e que seja um estimulador da construção de saberes plurais – a partir das interacções que ocorrem no ambiente educativo – saberes tecidos via relações mais dialogais com os outros, os diferentes.
Este livro é uma possibilidade de encontro com diferentes experiências, produzidas por diferentes autores, situadas em diversos países – Brasil, Canadá, Colômbia, Israel, Portugal – voltadas para a importante questão da formação de professores, no contexto dos desafios educacionais presentes em nosso século.

Requisitar
Categoria: Etiqueta:

Reviews

Reviews

There are no reviews yet.

Seja o primeiro a avaliar "Una “nueva” cultura para la formación de maestros: es posible?"

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *